DORMI A NOITE TODA - ALIMENTAÇÃO, ARROTAR E CÓLICAS

Fotografia Pau Storch


ALIMENTAÇÃO
Em relação às mamadas a frequência está nas rotinas que referi aqui. A duração é à vontade do freguês, ou seja, o tempo que ele quiser. A média dos meus filhos é de 30 minutos em cada mama. O importante é que ingiram a quantidade suficiente e de preferência que se alimentem mais e melhor durante o dia, para que durante a noite não sintam necessidade de se alimentar. No início é normal adormecerem a mamar - a maminha e o colo também lhes dá consolo, conforto e segurança. O truque é ir mexendo nos pés, não agasalhar demasiado e, desta forma, fazer com que continuem a mamar.
A mamada depois do banho e durante a noite são feitas no quarto onde dorme, com pouca luz e com mínimo de estímulo (não falo nem mantenho contacto visual). Para além disso, as mamadas durante a noite costumam ser muito rápidas e nessas eu não estímulo para mamarem mais. 

ARROTAR 
Só me lembrei de falar sobre o arroto porque desta vez temos aqui uma característica única no António, novidade para mim até então, que atrapalhava o sono do pequeno. 
O António, depois de mamar, tem dificuldade para arrotar e fica extremamente irritado quando não consegue - esperneia, chora, põe as mãos na boca (agora que já leva as mãos à boca, porque antes abria a boca e parecia que estava à procura de mama) e só se acalma depois de conseguir arrotar. No início não compreendia o que era e muitas vezes ele até adormecia sem arrotar. Depressa me dei conta que o miúdo, por qualquer motivo, quando não arrotava, acordava num berreiro e assim o sono era sempre interrompido. 
Os bebés arrotam porque durante a alimentação engolem ar, que fica acumulado no estômago e intestinos. O arroto acontece quando esse ar volta e é libertado pela boca. Quando o bebé é muito pequeno o seu sistema digestivo é imaturo e pode precisar de ajuda para arrotar - colocar o bebé junto ao ombro ou senta-lo ligeiramente inclinado para a frente e dar umas palmadinhas nas costas até sair o arroto.

CÓLICAS
Em relação às cólicas tenho três experiências diferentes: a Leonor teve muitas cólicas até cerca dos 6 meses, o Afonso nem me dei conta que as teve e o António teve até aos dois meses e meio.
As cólicas podem interferir com o sono e com as rotinas uma vez que um bebé com cólicas acorda com dores e não vai conseguir acomodar-se para dormir novamente. O choro das cólicas penso que seja bastante diferente (pelo menos nos meus é) é mais estridente, eles cerravam os punhos e dobravam as pernas energicamente. Também me apercebi que o bebé pode "procurar alimentar-se" pois a sucção acalma a dor e isto leva-nos ao engano e a achar que o bebé ficou mal alimentado. 
Em caso de acordar com cólicas o que costumava fazer era, sem grandes estímulos e com pouca luz, massajar a barriguinha, dobrar as pernas na direção da barriga ou estimular o anus com a cânula no bebegel para o bebé fazer cocó ou dar punzecos, depois dava um pouco de maminha e voltava a colocar no berço.

2 comentários:

  1. É muito complicado massajar quando estao a chorar, pelo menos vejo-me aflita!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade Xica Maria!
      Eu lá ia tentando e algumas vezes também passava a cânula do bebé gel no rabiosque e desta forma conseguia ajudar os pequeninos.
      Boa sorte!!!
      Beijjnhos

      Eliminar